Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Os Momentos com Ana

Os Momentos com Ana

Sanzala




Ouve-secantar. Lá ao fundo naquela plantação de café.

Cançõestristes, canções alegres.

Cantam para trabalhar com mais ânimo, commais força, para o dia findar mais rapidamente e com ele a altura de ir paracasa ver a mulher e filhos.

Esses porém estão no auge das suas vidas sempuderem imaginar o que ela lhes preparou e para o que estão predestinados.

Vida ingrata e dura sem descanso nem alegria,mas cheia de ilusões e sensações grutescas e frustrantes, sem que delas possastirar o melhor partido dessa vida desconcertante.

Voltas para casa depois de um dia de trabalhoe sem remuneração suficiente para sustentares a tua família. A tua mulhertambém trabalha com o vosso filho mais novo às costas, sem condições e compoucas forças.

Sanzala. Nada existe de reconfortante, tudo étriste, frio e sem aconchego, não gostas de lá estar. Nutres a esperança de queum dia possas sair dessa vida, levares a tua família para um local mais acolhedore que tenhas possibilidade de lhes dares tudo do bom e do melhor.

E esse dia chegou, chegou o momento há muitoesperado, a Liberdade dos escravos.

Deixas-te de ser escravo, és um ser humanoigual a tantos outros, muito embora não te considerem como tal, pois como fostecriado num ambiente de escravidão, desconfias de tudo e todos e a tua vida nãotem sossego. 

Voltas à sanzala, arranjas um bocado da terrae cultivas para ti e para a tua família, essa terra é tua, e o produto é a consequênciado teu suor, quase não tens descanso, mas é o resultado de todo o teu amor. 

Um dia vão respeitar-te pelo homem que éspelo homem que te tornaste. Viverás junto da tua família, com a tua vivenda,com jardim para os teus filhos brincarem e quiçá netos também, estes nuncachegarão a saber o que é a escravatura e ainda bem que assim é.

Vive e vai cantando para teres ânimo e forçanesta tua vida.