Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Os Momentos com Ana

Os Momentos com Ana

24
Ago18

E os filhos partem ...


Ana Paula

luz.jpg

 

Primeiro, há alguns anos atrás, não estranhei, tendo em conta que o seu núcleo de amigos estava, na sua maior parte, a sair de casa dos pais para o estrangeiro.
Mas na realidade não liguei, convencida que nunca iria acontecer.
De seguida, e passados alguns anos de descanso mental sobre essa matéria, comecei a aperceber-me que havia uma possibilidade de retirada e, tendo em conta os contactos trocados apercebi-me que havia mesmo uma hipótese e, desta vez, era mesmo para abalar.


Desta vez é que era, a minha filha mais velha queria abrir as asas e abalar de casa num voo de longo curso.

A sensação situa-se entre o gostar que os filhos tomem o seu rumo, que se façam à vida, explorem caminhos, aventurem-se para saber o que realmente é a vida e o que existe pelo mundo fora, e entre o ter receio que aconteça alguma coisa aos filhos e que não possamos estar ao pé para os apoiar e ajudar a resolver as situações que possam advir. Esta geração foi apelidade de Jovens do Mundo.

E é neste misto que me encontro de momento, é neste misto que a minha família se encontra, o querer e o não querer. O gostar e o recear.


Mas tendo em conta que os filhos um dia têm de sair de casa e, que os pais têm de estar preparados para isso, nós estamos a tentar assimilar toda esta informação e a aceitar esta saída. Apoiando, apoiando sempre …

 

Por isso, minha filha, desejo-te o maior sucesso, a maior alegria, muita saúde, muitas felicidades e que tenhas tudo aquilo que desejares, para além disso que sejas feliz, muito feliz, porque se tu estiveres nós também estaremos.

 

Um beijinho grande minha filha grande, minha alegria, meu amor.

 

Sê Feliz.

 

ferradura-do-trevo-da-folha-símbolo-quatro-ano-no

Foto retirada da Internet

 

03
Ago18

Quando só te apetece …


Ana Paula

Gaivota .jpg

Gaivota no seu momento de meditação

 

Estar sozinha

Nada dizer
Nada fazer
Não falar com ninguém
Não ver ninguém
Apenas tu e os teus pensamentos
Apenas … viver …
Faz bem caminhar sem rumo, nem destino,
Faz bem abstrairmo-nos dos demais
Faz bem estarmos connosco próprios
Faz-nos bem, porque nos faz bem …
Porque necessitamos estar em introspetiva, porque a mente nos induz a isso.


Faz-nos bem parar e estarmos connosco a pensar ou então a não pensar.


Tiremos então um tempo do nosso tempo, para ficarmos um tempo connosco.

Connosco e com a nossa paz, com a nossa vida, com as nossas opções, com o nosso bem estar, com a nossa sanidade, com a nossa plenitude da vida.


E nesse sentido, agradecer tudo o que temos,

agradecer tudo o que existe para nós existirmos e

agradecer tudo o que faz parte de nós para nós podermos fazer parte do Todo, essa é a plenitude da Vida.

 


Agradeçamos e sejamos felizes!!!

 

Pombo.jpg

 Pombo a passear sozinho

 

 

 

16
Abr18

Escrevendo ... vidas partilhadas


Ana Paula

Coisas

há muito que não escrevo coisas

vida assoberbada, vida atribulada, vida cansada

dia atarefado, dia complicado, dia que facilmente se transforma em noite

chuva, sol, mistura de sentimentos, de disposições,

primavera sim ou não, instabilidade de tempo, instabilidade de mente, instabilidade, irritabilidade

escassez de tempo, nada, fazer nada.

Quando algo acontece escreve-se, mostra-se, fala-se, divulga-se, apregoa-se aos quatro ventos.

Quando nada acontece, nada se faz, nada se diz, nada vezes nada

 

Azafama diária, correria, transportes, escola, infantário, crianças, pais, emprego, chefes, colegas e a manhã que não passa.

Almoço, marmita, colegas, café, já terminou.

Recomeça a tarde, novos contactos, colegas, reunião, chefe, problemas, resolver ou tentar, reunião de última hora, organizar, contactar, brainstorm, sair, com atraso, transportes, escola, infantário, supermercado, casa.

Organizar jantar e as marmitas do almoço, banhos, brincadeiras, jantar, deitar, adormecer as crianças, eternidade, ler histórias, cansaço, eternidade ...

 

Lavar loiça, arrumar cozinha, olhar para o sofá, desviar olhar, organizar roupas para amanhã, ouvir a novela, "Há tanto tempo que não vejo a minha novela, ah e tal, logo vejo os episódios todos no fim de semana"

Tentar ir para a cama, tentar adormecer, tentar descansar, tentar dormir, já já são horas de acordar ...

 

Novo dia, nova rodada ... nova correria, para isso estamos vivos e gostamos desta azáfama.

 

E é tão bom quando eles se interajudam nas tarefas diárias em casa, e é tão bom quando partilham e sabem partilhar essas tarefas da casa e dos filhos.

É saudável e faz-nos bem, muito bem

Noutros tempos é que a mulher fazia as tarefas todas, agora partilha-se e sabe bem partilhar. 

Temos mais tempo para os dois, para partilharmos exatamente esses momentos e vivê-los a dois

 

Coisas

há muito que não escrevo coisas

 

E vocês também partilham o vosso dia a dia?

 

 

 

 

26
Fev18

Porque escolhemos?


Ana Paula

 

A vida é composta por opções.

A vida por vezes dá-nos a oportunidade de opção e, nessas situações só temos que saber escolher, mas o problema reside precisamente aí, na escolha.

A partir do momento em que temos dois caminhos, torna-se bem dificil a opção, pois não sabemos qual será a melhor solução para nós.

Não sabemos se o que pensamos ser o melhor, se efetivamente o será.

Quantos de nós não se deparou já com esta situação? Pelo facto de termos de optar, de escolher, uma ou outra sugestão, uma ou outra situação de vida?

Sempre que na minha vida surge esta dualidade, este caminho bifurcado, eu fico sempre em dilema.

Nunca sei o que escolher, nunca sei se escolher A será o melhor ou se o melhor será escolher B.

 

Talvez por me sentir um pouco insegura nestas decisões, fico sempre receosa pela resolução.

E se eu tivesse escolhido a outra opção,

E se eu tivesse dito que não, 

E se eu tivesse dito que sim

Enfim...


Este é sempre o meu problema, não gosto que a minha vida tenha opções.

Sei que muitos de vós me está a chamar neste momento "pateta, mal agradecida", porque é normal pensar-se que tendo duas ou mais escolhas podemos ser nós a resolver o nosso destino mas, euzinha, nessas situações fico sempre muito indecisa, muito insegura, muito receosa.

Porquê? - perguntam voçês, talvez pelo receio de não saber optar pela decisão mais correta, ou de tomar o caminho errado.

Talvez seja este o meu ponto fraco, quando as outras pessoas sonham em ter opções de vida eu tenho receio de não tomar a decisão mais correta.

Porque é que temos de escolher? Chamem-me Pateta mesmo, 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

20
Fev18

Saudades Amiga ...


Ana Paula

Hoje tive uma surpresa nada feliz.

Deram-me uma notícia, daquelas que não estamos à espera e nem gostamos quando a recebemos.

Uma amiga já de alguns aninhos tinha falecido.

Conhecemo-nos há cerca de 16 anos, as nossas vidas cruzaram-se num ambiente de formação, conhecimento. Dividiamos ideias, partilhavamos sabedoria, exploravamos sapiência, enfim, tinhamos tudo para concluir o que nos propussemos.

Fomos falando durante este tempo.

Entretanto ela perdeu o marido, a base da sua vida, da sua tudo. 

E foi-se a baixo, sentiu muito a sua falta, o seu apoio, a sua vida.

E no Natal uma queda que não deveria ser nada, levou-a ao Hospital. E eis que estava lá a maldita bactéria que anda matando quem não deve, e a sua saúde foi-se degradando até que a minha linda amiga é agora uma estrelinha.

Uma estrelhinha que agora está ao lado do seu mais que tudo, do seu tudo.

Uma estrelinha boa, luminosa e maravilhosa, brincalhona, comunicativa, ninguém estava calado ao pé dela.

 

"Está bem abelha!" era uma frase que gostava muito de utilizar. 

 

Para ti Betinha, um grande até já. Foste a minha grande amiga, a minha companheira.

 

 

 Um até já para ti Betinha

Deixas-me Saudades!!!

 

 

 

 

 

08
Fev18

Afinal existem pessoas tóxicas ...


Ana Paula

Entre uma pesquisa e outra, numa hora de almoço como outra qualquer, encontrei o blog da Miss Kale (Francisca  Guimarães) e gostei do que vi. Decidi logo subscrever a newsletter dela.

Fiz também o download do ebook que ela tem sobre o seu segredo para uma pele jovem  e radiante que estive a ler atentamente.

Não conheço a Francisca mas gosto do que escreve, tem assuntos bastante interessantes.

A dada altura verifiquei que havia um post que  me era famíliar, sim porque senti me identificada com o que estava escrito, passo a explicar:

Temos uma vida bastante stressante e desgastante, contudo, é usual estarmos rodeados por pessoas que amamos, pela família, por colegas, por amigos, por conhecidos, pelos vizinhos, por pessoas de circunstância e às vezes até por pessoas que não conseguimos ter qualquer afinidade. Mas se todos gostam de nós, porque é que não nos sentimos bem com essa situação, com essa pessoa, com quem não sentimos ligação.

Porquê?

Usualmente temos muitas pessoas que gostam de nós pois, somos alegres, prestáveis, amigos, solidários mas, há uma pessoa que nos tira do sério  e não conseguimos simpatizar com ela. Quando está ao pé de nós sentimos um acelerar do coração, sentimos uma ansiedade terrível, porque será?

 

A Miss Kale responde a esta questão com o tal post que referi há pouco ("OS 5 TIPOS DE PESSOAS TÓXICAS QUE DEVES SEMPRE EVITAR") e a explicação é maravilhosa.

Refere que existem 5 tipos de pessoas tóxicas, sim é isso que ela chama a essas pessoas que  nos dão "azia", taquicardia e enervam. E o engraçado é que a Miss Kale aconselha que as evitemos.

Muito bem, aquilo que eu pensava que possívelmente era invenção minha, afinal é  verdade, essas pessoas existem mesmo, infelizmente existem  mesmo.

O post menciona o seguinte e passo a citar:

 

"As pessoas tóxicas existem, não só no mundo da fantasia, mas no mundo real também; são aquelas que, intencionalmente ou não, têm comportamentos capazes de te magoar, desrespeitar, inferiorizar e desgastar. Elas conseguem despertar em ti um estado de stress intenso e, por todos os motivos, deverão portanto ser evitadas."

Então, a solução é  ultrapassar estas situações e aprender a lidar mesmo com estas pessoas, como diz a Francisca, porque "a vida é demasiado curta e preciosa para ser passada ao lado de quem nos desrespeita e menospreza".

 Aconselho que leiam o post da  Miss Kale vale mesmo a pena.

 

E aprendam a lidar com as pessoas tóxicas  ou então afastem se. 

O que vos parece?

 

22
Jan18

Viver a Vida ...


Ana Paula


Quando somos jovens temos tantos sonhos, tantos objetivos, nada nos pára. Queremos sempre mais e mais.
Nunca estamos satisfeitos, almejamos ter este e aquele objeto, este e aquele objetivo. Mais e mais.
Mas e depois?
Depois de quê? - perguntam vocês - Depois, quando deixarmos de ser jovens, quando já não tivermos tantos objetivos e quando a vida nos fugir.
E depois? o que fazemos?
O que nos espera?

Usualmente durante a nossa vivência ambiciona-se:

  • conseguir a independência tendo um emprego, para se puder ter o que precisamos e quisermos;
  • encontrar alguém que nos faça feliz;
  • ter o nosso cantinho, a nossa casa;
  • formar família;
  • viajar, conviver, conhecer novas culturas e muito mais,
logicamente, que estes objetivos não têm de estar necessariamente por esta ordem, cada pessoa terá a sua prioridade, a sua noção de ambição.


O que nos espera, será a indecisão, o vazio, aguardar, já não temos nada para ambicionar, já temos todas as nossas expetativas concretizadas (ou então não  se chegaram a concretizar) porque já passou o nosso timing, já não é de se esperar mais nada.


Perante este quadro aqui apresentado, quando os objetivos já estão todos concretizados, nada mais resta do que  viver. 
Viver sem pressa, viver sem ambição, apenas viver e ser comandado pela vida. Já não nos apetece sair da nossa zona de conforto, não precisamos de sair, explorar, conhecer, basta-nos viver.

Contudo, 
a Vida não foi concebida para estarmos à mercê daquilo que vier, temos de correr para novos objetivos para novas ambições e, nesse sentido, temos de contrariar essa inércia.  

Porque a vida dá-nos isso, dá-nos opção de escolha, dá-nos alento e é isso que nos faz viver, pelo facto de nunca estarmos  satisfeitos com o que temos, ou com aquilo que esperamos que ela nos possa oferecer. Devemos ser ambiciosos connosco mesmo e exigir sempre um pouco mais de nós. Não podemos ser pacientes, nem apáticos, porque senão seremos uns seres idosos à espera que a morte nos leve.

Temos de contrariar esse facto e lutar pelos objetivos que a vida nos coloca à nossa frente e nos oferece de modo a pudermos Viver a Vida o melhor possível, sem inércia, com o sentido de obrigação concluído e de coração cheio.

Vamos então Viver a Vida e saber explorá-la o melhor possível e no melhor sentido.



29
Dez17

2017- viagens


Ana Paula


Muito embora não seja moça para viajar muito este ano que está a finalizar trouxe-me algumas viagens e conhecimentos  fora da minha rota.

Não foram assim tantas viagens, mas foram mais do que é normal.

Gosto de viajar, de conhecer novos povos, novos horizontes, novas culturas. E o bom disto tudo é o dia em que se regressa, venho sempre muito motivada para o meu dia a dia, vejo a minha rotina, a minha casa com outros olhos, com outro amor e vislumbro melhor o resto do ano que falta passar. Tenho outra força.

Este ano fomos a Roquetas del Mar, Espanha, fomos a Paris, França e fomos a Peniche, Óbidos, Caldas da Rainha em Portugal.
Pode considerar-se que viajamos muito em 2017, mas tenho como objetivo de resolução de ano novo viajar ainda mais, se possível, claro está.

As viagens dão-nos alegria, desperta-nos a curiosidade, os sentidos, conhecemos novas culturas, novas vivências, são só bons objetivos .

Quando se pensa em viajar a nossa mente remete-nos para palavras tão boas como:

Passear, conhecer, viajar, sol, luz, alegria, descobrir, desconhecido, cor, agitação, adrenalina, comida, petiscos, chuva, nevoeiro, neve, granizo, tempestade, altas temperaturas, azul, laranja, amarelo, verde, hortelã pimenta, vermelho, harmonia, paixão, descobertas, planos, objetivos, progressos, regresso, amor, saudades, vida normal, trabalho, casa, colegas, planos, futuro, novos pensamentos, novas marcações, novas terras, nova esperança, nova viagem ...


Viajar é bom, rejuvenesce, dá novo animo e nova alegria. Felizes aqueles que têm a possibilidade de viajar e de conhecer o Mundo.

Feliz Ano de 2018.





28
Dez17

E já passou


Ana Paula

Tanta azáfama, tantas filas
Tantas compras que se fazem semanas antes, algumas pessoas até iniciam meses antes.
Listas para aqui, listas para ali, ou para acolá
Uma prenda para o pai, outra para  a mãe, uma para a  Maria, outra para o Manuel, outra ainda para a vizinha que ficou com os nossos filhos...

Enfim, é uma época de consumismo desenfreado, gasta-se até não se poder mais.
Depois, passada toda esta aflição e entusiasmo volta tudo ao normal, volta tudo aquela fase em que estamos a "apertar o cinto"e não se pode gastar muito dinheiro.


Quanto às ofertas, essas por vezes são meras trocas, "há e tal como a Dolores o ano passado também me deu tenho de lhe comprar alguma coisa", o que é isto senão uma troca, não é bem pela amizade, ou pelo gosto de oferecer a uma pessoa que se ama não, é apenas pelo factor troca e sem qualquer sentimento à mistura.

No entanto, esta época também faz com que os melhores sentimentos do ser humano venham ao de cima, tais como o da inter-ajuda, da solidariedade, do apoio, da amizade, da partilha, da compaixão, tudo o que em algumas pessoas durante o resto do ano está completamente adormecido e de repente, como que por magia, que é exatamente esse o espírito desta quadra natalícia, vem à tona e desatam a oferecer ajuda, alimentos, agasalhos, enfim uma panóplia de coisas para os mais necessitados.

Mas pensem lá, no resto do ano esses necessitados não têm as mesmas carências que tiveram nesta época finda? Claro que têm e sim, verdade seja dita, existem seres humanos que durante os 365 dias do ano estão disponíveis para apoiar e dar a esses necessitados aquilo que precisam, aquilo que têm falta. Sim, eles estão lá, mas são poucos comparados com os mecenas que aparecem no Natal.

E perante estas constatações não se consegue fazer muito diferente, todos os anos vamos comprar prendas, trocar prendas, expelir a nossa vontade de ajudar, seremos mais simpáticos, mais amistosos, enfim, usaremos nesta época natalícia o bom senso e a compaixão que deveria estar presente em todos nós durante todo o ano.

Porém, à data de hoje e, por este ano esse sufoco de compras já passou, já demonstramos todo o apego e carinho a quem quisemos.

Esta é mesmo a nossa realidade e, quem nunca pecou que atire a primeira pedra.

Desejo a todas e todos umas Festas Felizes.











13
Dez17

Frio e inverno


Ana Paula

Finalmente chegou  o frio.
Durante tanto tempo  tivemos calor, sol e praia e até seca quase extrema, mas agora finalmente veio o frio.
E o inverno está aí não tarda, sim é  já  dia 21 de dezembro e vai manter-se até dia 20 de março de 2018,  muito tempo.

Mas  nesta altura nós  gostamos de tudo o que seja moda, cores, texturas, enfim tudo o que nos põe bonitas.
Inverno combina com:
Lã, cachemira, luvas, casacos quentinhos, curtos, compridos, três quartos, cores alegres, brancos, muitos tons de brancos, camisolas, golas altas quentes, calças cardadas da Calzedonia, collants maravilhosas.

Quadrados, riscas, florescentes, cores, preto, enfim uma paleta infindável de cores.

Peles, pêlo  muito pêlo. Há pêlo  nas golas, nas mangas, nas calças, nas blusas,  nas algibeiras, nas malas, nas mochilas, e é assim, este inverno há pêlo por todo o lado.

Botas altas, botins, sapato, sapatilhas, galochas. Sim galochas porque há terras em que chove muito e fazem muita falta.
Este ano está muito na moda as gabardines curtas, e ficamos muito elegantes.

Agora só  falta vir a chuva para ser um inverno em pleno.

Inverno remete-nos também para aconchego da casa, com a lareira acessa, chocolate quente, bolinhos e bolachas, mantinhas quentinhas. Ver um filme no quentinho.

Que bom, que felicidade, e não nos podemos esquecer que o Natal está quase a chegar, e com ele mais frio, mais neve e chuva, mas também mais alegria, felicidade e esperança no novo ano que está a chegar.

Por isso gostamos tanto do inverno, não é verdade?

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D