Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Os Momentos com Ana

Os Momentos com Ana

08
Out12

Tristeza Vs Música


Ana Paula

O que nos diz a tristeza? Como é a nossa aparência quando estamos tristes? O que dizemos quando aparentamos tristeza? O que é estar triste? Porque estamos tristes?
Tristeza são lágrimas, são olhos infelizes, é roupa preta, são flores nos finados. É ir perdendo a família aos poucos.
Tristeza é não ter ganhado a medalha, é não ouvir o hino, é correr a maratona e não terminar.
É ver crianças sem pais, pior ainda é ver pais que perderam os filhos.
Tristeza é o céu cinzento, é dia de chuva, é Londres, e Porto, são prédios cinzentos e encharcados, é a barriga a inchar com o sistema nervoso, é a notícia de uma má notícia.
É não conseguir ganhar o euromilhões,  é não poder ter uma vida melhor, não puder ajudar os outros.
Triste é como se encontra a maioria dos viventes deste país. É querer pôr comida na mesa para os filhos e não ter, é precisar de ir à farmácia comprar os medicamentos e não ter possibilidade. É esperar sempre que alguém ajude, é triste, mas é verdade.
Triste é não acordar amanhã. É não ouvir as brincadeiras das crianças, é não rir as gargalhadas, é ouvir música triste.
Mas a música não é triste, com certeza que pode ser considerada nostálgica, como por exemplo o Fado e a Clássica, mas de uma forma geral não é triste. O Fado é sentimental, é bem português, é bem melodioso.
Música é também alegria, é festa, é disco, é aniversário, é romance, é namoro, é saudade, é festa …
A música deixa-nos alegres, bem-dispostos, faz-nos trautear a letra, quando gostamos dela, faz-nos sentir bem, ou então faz-nos sentir magoados com algo que a letra nos transmite. Sim, porque a letra transmite sempre um estado de espírito, de quem a escreveu, de quem a interpreta e de quem a ouve, pode eventualmente ser romântico, ou nostálgico, ou mesmo de revolta como a música de intervenção (tão em voga nos anos 70, como agora), essa tendência de revolta tende a repetir-se nestes últimos momentos da vida portuguesa e mesmo da vida mundial, é a expressão contra algo, ou contra alguma coisa.
Muito embora, o país e as nossas vidas estejam nesta situação de impasse e de desconhecimento, a música existe para nos alegrar, para nos colocar num patamar mais anímico, mais elevado. Ela está sempre nas nossas vidas.
Por isso, a música existe para nos desanuviar, para comunicarmos com o exterior e mesmo com o nosso interior, com a música não existe tristeza.

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D